Postagens

Manifesto do Jeitinho Brasileiro

MANIFESTO DO JEITINHO BRASILEIRO
Da aurora de nossas experimentações com o larp, nós, enquanto brasileiros, já nos deparamos com algo que fazia valer nossa cultura sobre as imposições cristalizadas em um manual de regras. Se Leis da Noite, o primeiro “manual” de larp que chegava no Brasil, já previa a regra do “não tocar”, nos víamos diante de um celeuma. E o jeito, já nos primórdios do larp praticado nessas terras, foi usar o famoso “jeitinho brasileiro”. Pelo jeitinho brasileiro, nos manifestamos:
Jogar é Tocar. Não somos estadunidenses. Isso é importante evidenciar. Nossas culturas são diferentes. Aqui, nós nos abraçamos, damos beijos no rosto (um, dois ou até três!) quando conhecemos alguém, pegamos nas mãos uns dos outros, colocamos a mão sobre o ombro de alguém quando queremos dizer algo importante, esbarramos uns nos outros nos transportes coletivos lotados. Nossa “bolha” é muito menor. Portanto, é estranho que não possamos nos tocar durante os larps. A premissa de que isso man…

O Magnífico nos céus do amanhã

Imagem
No dia 8 de Julho, tive a oportunidade de participar do larp "O Magnífico nos céus do amanhã", que ocorreu no SESC 24 de Maio, promovido pela Confraria das Ideias.
O larp, que já foi executado anteriormente (vídeo de execução anterior disponível aqui), fez parte de uma programação temática da unidade 24 de Maio do SESC sobre Steampunk.

A trama envolveu a tripulação e os passageiros da viagem inaugural de um dirigível (O Magnífico) em 1889. O modelo adotado pela Confraria para a participação foi um ponto interessante: um misto entre inscrições antecipadas (em grande parte difundidas pelo evento no Facebook) e inscrições no dia do evento. Isso permitiu tanto participações que exigiam algum tipo de programação por parte dos jogadores (como é o meu caso, já que envolve o deslocamento entre cidades) quanto participações do público espontâneo que transitava pela unidade do SESC no dia do evento.
No total, 25 pessoas participaram do larp: 20 inscrições antecipadas (atingindo o limi…

Seis larps e uma provocação

Imagem
Sob o impactante título "Seis larps e uma provocação: uma estadia na antessala do inferno", o SESC 24 de Maio trouxe uma maratona de mais de 13 horas de larp durante a Virada Cultural 2018. Foram (como o título sugere), 6 larps, todos de autoria de Luiz Prado.


Minha participação aconteceu de uma maneira inédita para mim: a convite do Luiz Prado, criei uma ambientação sonora durante os larps. As ações dos participantes serviam de estímulo para que eu, com o auxílio do teclado e de uma mesa de som, criasse a ambientação espontaneamente. Foi uma forma surpreendente de participar pois, ao mesmo tempo em que observava atentamente aos larps, "jogava" junto, criando estímulos sonoros. 
Como essa postagem trás o relato de seis diferentes larps, mas que se comunicam entre si (como o cartaz já adverte trazendo os eixos JOGO - MEMÓRIA - IMERSÃO) pela temática da "despedida", opto por trazer a sinopse de cada larp, seguida de minhas impressões.

CAFÉ AMARGO Sua companh…

A conspiração de Hades

Imagem
No dia 21/01, tive a oportunidade de participar do larp "A Conspiração de Hades", proposto pela Confraria das Ideias (site, blog & Facebook). Fui, ao mesmo tempo, iniciado em duas atividades que nunca havia me envolvido: a de "NPC" e a participação num larp infantil.
O larp faz parte da programação de verão do SESC Pompeia, que tem por tema a mitologia grega. Destinado a crianças de até 12 anos, envolveu uma caça ao tesouro, com as crianças buscando pistas pela unidade do SESC com o intuito de conseguirem ajuda de diversas entidades mitológicas para derrotar Hades, que havia aberto a Caixa de Pandora e incriminado a humanidade.
A partir dessa proposta, a função dos adultos escalados pela Confraria era a de serem as entidades mitológicas em questão (HadesHermes, Pitonisa, Sereia, Ariadne, Medusa, Ícaro e Caronte). Enquanto as crianças não recebiam personagens (embora recebessem um papel, já que a missão de buscar por pistas e auxílio para salvar o mundo de um…

O Manifesto do Larp Local

O Manifesto do Larp Local Postado em 10 de abril de 2017 por Lizzie Stark*

Hoje, plantamos nossas bandeiras para nossas cenas locais e livres de pesticidas, orgânicas, de comércio justo, verdejantes e sem crueldade. Abordaremos nos comentários as partes deste manifesto que provavelmente o enfureceram.
Resolvido:As comunidades locais de larp devem ser apenas isso - locais. Isso não impede que você alcance, abrace visitantes, faça trocas de jogadores ou participe de eventos distantes quando lhe convier.Pequenas comunidades são viveiros de inovação. Muitos jogos legais saem de pequenas comunidades.Larp local é ambientalmente amigável. Ou mais amigável, pelo menos. Esperemos que isso não seja controverso.Eventos pequenos, curtos e baratos tornam o larp acessível a uma gama mais ampla de pessoas. Eventos grandes, longos, caros e menos acessíveis não são o inimigo; esta é apenas uma verdade logística. Todo o ecossistema do larp apoia-se a si próprio: alguém que comece com pequenos jogos po…

Deriva

Imagem
Dia 17 de Dezembro é uma data importante para o larp. Primeiro, porque marcava o início da Saturnália, festival romano apontado por Brian Morton (no livro Lifelike) como um dos ancestrais do larp. Segundo, porque assinala a execução de A Clínica: Projeto Memento, larp que é um dos marcos do que o Luiz Falcão (autor do larp) chama como a entrada do larp brasileiro numa "terceira onda" (o texto completo pode ser encontrado no livro The Cutting Edge of Nordic Larp). Terceiro, foi a data escolhida para realizar o Memorial Evening de Elge Larsson, figura de estimada importância na cena nórdica de larp, certamente ressonante também no Brasil (clique aqui para postagem do NpLarp sobre o assunto). E agora, data também a execução de Deriva, na despedida de Apenas um Jogo, programação sobre larp do Espaço de Tecnologias e Artes do SESC Itaquera, que contou com curadoria do Luiz Falcão.
Deriva é um larp de Luiz Prado, o primeiro de uma série batizada "Larps de Amor, de Loucura e d…

Ajuste os controles para o centro do sol

Imagem
Mesmo não sendo minha primeira oportunidade de participar de Ajuste os controles para o centro do sol, de Luiz Prado, certamente foi a mais marcante. Antes, participei do jogo no Ciclo de Vivências em Jogos Narrativos e na, carinhosamente apelidada, blackbox sorocabana.
Dessa vez, o larp ocorreu durante o 11º Encontro de RPG do CCJ, promovido pela Confraria das Ideias (site, blog e Facebook). Além de ter participado de um larp da própria Confraria (relato aqui), ocorreu uma aplicação de Ajuste..., que dessa vez contou com a produção do Boi Voador.

Resumidamente, Ajuste... trata do cotidiano da tripulação de uma nave (a primeira a sair do sistema solar) que, por conta de um infeliz desvio de rota, se vê numa jornada de volta ao lar que irá durar 80 anos.

A primeira coisa que chama atenção no larp é o set-up do jogo. Num diálogo intenso com RPGs de mesa e boardgames, os participantes são convidados a criar o futuro no qual estarão inseridos em Ajuste..., ao utilizarem post-it para resp…